15/05/2016

Diário do Amazonas (1986)

Da sua primeira edição aos anos 90, o DIÁRIO foi marcado pela abordagem mais popular dos assuntos de Manaus, tendo como tema principal os assuntos relacionados ao cotidiano da cidade. Desde então, a inovação e a ousadia editorial são marcas do DIÁRIO. Sempre capitaneado por Cassiano Anunciação, foi este jornal que inaugurou as edições de segunda-feira - até então inexistentes no mercado local de jornais impressos-, e também as edições totalmente coloridas, quando até então só as capas e algumas outras páginas dos jornais locais eram coloridas.



No final dos anos 1990, o DIÁRIO migrou sua linha editorial para o setor de economia popular e serviços, voltando-se principalmente às classes D e C, até então ignoradas pelas publicações do Estado, mas atingindo toda a população. Tornou-se líder de vendas no Estado, naquele momento. No começo dos anos 2000, Cassiano Anunciação resolveu mudar mais uma vez e seu jornal migrou para um estilo Premium, mais tradicional, apontando seu noticiário para a área de política e economia – voltada para a indústria da Zona Franca de Manaus. O plano era ousado, pois a migração daquele momento visava o futuro em médio prazo, onde a editora ambicionava ter outras publicações e já vislumbrava a entrada da internet no mercado de comunicação.

Em 2005, o diário passou a ser auditado pelo Instituto Verificador de Circulação (IVC), órgão que confirma a tiragem dos principais jornais do País. Com isso, o jornal superou a concorrência que parou no tempo e se consolidou como o maior, mais sério e mais importante veículo impresso da cidade. Fazendo jornalismo de qualidade, moderno, firme e sem se curvar a mandatários de plantão.

Atualmente, a tiragem do DIÁRIO, segundo o IVC, o aponta como líder do segmento na Região Norte, com venda média, durante a semana, de 12 mil exemplares. Aos domingos, esta circulação gira em torno de 25 mil exemplares.

Já em 2011, o jornal apresentou seu novo projeto gráfico e editorial, com o objetivo de dar uma leitura mais leve e direta, valorizando a informação visual, como as fotografias, e aplicando modernas tendências editoriais, mas sem perder a densidade e a credibilidade de sempre. O projeto foi desenvolvido pela Garcia Media, empresa líder no mercado de desenvolvimento de design para a imprensa no continente americano. Entre seus clientes estão o Washington Post e a Folha de S.Paulo. Fonte: Wikipedia