04/05/2016

Gaye Tuchman

Sociológa americana formada e doutorada pela Brandeis University. Foi fundadora da Sociogists for Women and Society, conselheira da American Sociological Association e presidente da Eastern Sociological Society. Atulamente é professora de sociologia da Connecticut University. Tuchman se especializou em sociologia da cultura, meios e gêneros, com abordagens etnográficas, deixando grandes contribuições nos estudos midiático-sociológicos. É diretora editorial de diversas revistas acadêmicas e autora de livros como Television Establishment: Programming for Power and Profit, Images of Women in the Mass Media e Making News: A Study in the Construction of Reality. Seu nome é especialmente ligado aos estudos de NEWSMAKING. 

Tuchman dividiu o conceito de aniquilação simbólica, termo usado para descrever a ausência de representação ou sub-representação, de algum grupo de pessoas na mídia, em três aspectos: omissão, banalização e condenação. Esta abordagem multifacetada para a cobertura não só vilipendia comunidades de identidade, mas trabalhar para tornar membros invisível através da explícita falta de representação em todas as formas de mídia que vão desde filmes, música, livros, mídia e arte visual. "Representação no mundo fictício significa existência social; ausência significa aniquilação simbólica ". (Gerbner & Gross, 1976, p. 182) Tuchman afirma no livro mídia de massa para os estudantes de nível A na página 109 que as fêmeas são representados muito menos do que os homens na TV. Tuchman também afirmou que quando as fêmeas têm um papel, na sua maioria são mostrados como sendo papéis negativos. Fonte: Wikipedia