13/05/2016

Thomas Traumann (1967)

Thomas Timothy Traumann é um jornalista brasileiro, ex-porta-voz da Presidênta Dilma Rousseff e atual (2014) Secretário de Comunicação da Presidência da República.

Formou-se em jornalismo na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba.Foi correspondente da Folha de S. Paulo em Curitiba entre 1990 e 1994, quando mudou-se para São Paulo para participar do núcleo da agência de notícias que gerou o portal de notícias UOL. 

Em 1995, transferiu-se para a revista Veja. Cobriu o avanço do desmatamento e a ação ilegal de madeireiras estrangeiras na Amazônia e coordenou a edição especial de Veja Ecologia, em 1997. Foi editor de assuntos gerais da revista. Em cinco anos, participou de mais de vinte capas de Veja. 

No ano 2000, voltou para a Folha de S. Paulo como repórter especial. Cobriu a ação de guerrilheiros na Colômbia, as eleições no Equador, a busca de tribos de índios isolados no Vale do Javari (Amazonas), desastres ambientais da Petrobras, ações do Movimento dos Sem Terra e a crise política na prefeitura de São Paulo na gestão Pitta. Especializou-se na cobertura do Partido dos Trabalhadores (PT). 

Em 2001, transferiu-se para a Revista Época para cobrir a campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva. Fez quatro entrevistas exclusivas com o então candidato, antecipou o poder que José Dirceu teria no futuro governo e relatou a ascensão de Antonio Palocci junto a Lula. 

Em 2002, mudou-se para o Rio de Janeiro para ser o chefe da sucursal carioca da revista Época. No ano seguinte, acumulou a função de chefe da sucursal com a de colunista de política (seção que, sucessivamente, se chamou Portal, Bastidores e, finalmente, Janela Indiscreta). 

Durante a cobertura do Escândalo do mensalão, em 2005, publicou a explosiva entrevista em que o então presidente do Partido Liberal (PL), Valdemar da Costa Neto, detalhou como recebeu malas de dinheiro de Marcos Valério, a mando do PT. 

Em 2006, criou a newsletter "O Filtro", um resumo das principais notícias do dia distribuído todas as manhãs a mais de 250 mil assinantes da revista Época. Foi também convidado eventual do programa "Entre Aspas", da Globonews. 

Em 2008, transferiu-se para a consultoria de comunicação espanhola Llorente & Cuenca, sendo responsável pela abertura do primeiro escritório em país não-hispânico. Em maio de 2010, Traumann transferiu-se para a FSB Comunicações, encarregado da comunicação corporativa do Grupo Andrade Gutierrez. 

Desligou-se da FSB Comunicações em janeiro de 2011 para assumir a coordenação de imprensa da Casa Civil da Presidência da República, como assessor especial do então ministro Antonio Palocci. Com a saída de Palocci do governo, em junho de 2011, tornou-se assessor especial da ministra-chefe Helena Chagas, da Secretaria de Comunicação Social. Fonte: Wikipédia