23/06/2016

Diário de Pernambuco (1825)


Diario de Pernambuco é um jornal publicado em Recife, no estado de Pernambuco, Brasil. É o mais antigo periódico em circulação da América Latina, fundado em 7 de novembro de 1825, pelo tipógrafo Antonino José de Miranda Falcão. Quando o Diario de Pernambuco foi fundado, Recife ainda não era a capital do estado, fato que só ocorreu um ano e três meses depois.

O Diario foi fundado na casa de seu criador, na rua Direita nº 256, e primeiramente era impresso numa única folha, como um caderno de anúncios de imóveis, achados e perdidos, leilões, etc, ao custo de 40 réis. Em 1903, o jornal mudou-se para seu endereço mais famoso, na Praça da Independência, conhecida do povo de Recife como a Pracinha do Diario, onde permaneceu por 101 anos, até 2004. Desde essa época, está estabelecido na Rua do Veiga, 600, no bairro de Santo Amaro. Desde 1931 pertence ao consórcio Diários Associados.

No dia de seu centenário, em 1925, comemorado por toda a sociedade pernambucana, o Diario circulou com 60 páginas, trazendo em sua capa uma ilustração de autoria do pintor Manuel Bandeira.

Durante sua longa trajetória, o Diario sofreu severa censura em várias ocasiões, com o empastelamento de suas rotativas, jornais queimados e rasgados, depredações da sede e deixou de circular por alguns dias nos anos de 1911, 1912, 1931 e 1945. Um dos fatos mais marcantes de sua história, foi o assassinato do estudante universitário Demócrito de Souza Filho, na sacada do prédio do jornal, pela polícia política de Getúlio Vargas, em março de 1945.

Em seu primeiro número, como apresentação e sob o título de Introducção, o editor assim justificou a sua publicação: 

"Faltando nesta cidade assaz populosa um Diario de Annuncios, por meio do qual facilitassem as transacções e se communicassem, ao publico noticias que a cada um em particular podem interessar, o administrador da Typographia de Miranda e Companhia se propoz a publicar todos os dias da Semana excepto os domingos somente o presente Diario, no qual debaixo dos titulos de Compras- / vendas - Leilões - Alugueis - Arrendamentos - Aforamento - Roubos - Perdas - Achados - fugidas e Aprehensões de escravos - Viagens - Afretamentos - Amas de leite etc., tudo quanto disser respeito a taes artigos; para o que tem convidado a todas as pessoas, que houverem de fazer estes ou outros quaesquer annuncios, aos levarem a mesma Typographia que lhes serão impressos gratis, devendo ir assignados".

O jornal esteve envolvido numa polêmica em 2005, quando da denúncia do jornalista Ricardo Noblat sobre o fato de a direção do jornal tentar receber suborno da Câmara dos Deputados, em troca de um noticiário mais ameno da instituição. Segundo Noblat, o presidente dos Diários Associados, Joezil Barros, propôs ao presidente da Câmara Severino Cavalcanti, um pagamento mensal de 150 mil reais, a título de ‘relacionamento institucional’, em troca de uma cobertura menos ferina das atividades do Câmara e de seus parlamentares. A proposta não teria sido nem aceita nem respondida pelo deputado. Fonte: Wikipedia