13/06/2016

Edney Silvestre (1950)

Edney Silvestre é escritor e jornalista. Venceu o Prêmio Jabuti de Melhor Romance 2010 e o Prêmio Sâo Paulo de Literatura Categoria Estreante com seu primeiro romance, "Se eu fechar os olhos agora".

Ao sucesso de crítica ("Magnífico retrato do instinto humano") e de vendas no Brasil seguiu-se acolhida internacional. "Se eu fechar os olhos agora" já foi publicado em Portugal (Editora Planeta/Manuscrito) e na Sérvia (sob o título "Kad zatvorin oçi", editora Evro-Giunti), onde Silvestre foi convidado especial da 56a. Feira do Livro de Belgrado, uma das quatro maiores do mundo; Em janeiro de 2012 o romance saiu na Holanda, sob o título "Als ik mijn ogen sluit" (editora Arbeiderspers), traduzido por Harrie Lemmens, o mesmo de obras de Fernando Pessoa e José saramago. O romance sairá também na França, Itália, Alemanha e Inglaterra.

Em novembro de 2011 Edney Silvestre lançou "A felicidade é fácil", seu segundo romance. A trama narra o sequestro de uma criança e a relação entre este crime e a corrupção na Era Collor. Passado em um único dia, com um grande flashback ao Comício das Diretas de 25 de janeiro de 1984, na Praça da Sé, em São Paulo, o romance foi chamado de "sublime" pelo escritor Luiz Ruffato. Os direitos de tradução foram adquiridos na França, Estados Unidos e Grã-Bretanha.


No mes seguinte Silvestre foi incluído pela Revista Época entre as 100 personalidades mais influentes do Brasil em 2011, ao lado de Fernando Henrique Cardoso, Eike Batista, José Maria Beltrame, Carlos Saldanha, Neymar, Fernanda Montenegro, Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva. A revista Alfa escolheu Silvestre como um dos Homens do Ano de 2011. Em janeiro de 2012 tornou-se o primeiro brasileiro convidado para o festival Writers Unlimited-Winternachten, em Haia, na Holanda.

Na televisão Edney Silvestre é Repórter Especial da TV Globo. Criou e apresentou o programa Brasileiros(2010) da Rede Globo, ao lado de Marcelo Canellas e Neide Duarte, campeão de audiência e aplaudido pela crítica. Na Globonews, desde 2002 entrevista grandes nomes do mundo dos livros no Espaço Aberto Literatura. Entre seus entrevistados estiveram quatro premiados com o Nobel (Mario Vargas Llosa, Nadine Gordimer, Ohran Pamuk, José Saramago) e a nata das letras brasileiras, como João Ubaldo Ribeiro, Adelia Prado, Lygia Fagundes Telles, Luiz Ruffato, Lya Luft, Bernardo Carvalho, Zelia Gattai, Milton Hatoun, Nelida Piñon, Cristovão Tezza, Ana maria Machado.

Silvestre também é conferencista, roteirista, produtor e apresentador da televisão brasileira.

CARREIRA

Foi correspondente internacional por mais de uma década. Primeiro do jornal O Globo em Nova York, depois da TV Globo. Iniciou a carreira na Bloch Editores, com reportagens para as revistas Manchete, Fatos & Fotos, Pais e Filhos. Mais tarde fez parte da jovem equipe que tentou, sem sucesso, revitalizar a revista O Cruzeiro.

Edney Silvestre foi o primeiro jornalista da televisão brasileira a chegar ao World Trade Center no atentado de 11 de setembro de 2001, acompanhado do repórter-cinematográfico Orlando Moreira. Foi dele a reportagem que abriu o Jornal Nacional naquele dia. Todas as reportagens feitas no local dos atentados, exibidas pela TV Globo nas semanas e meses seguintes, foram realizadas por Silvestre com o cinegrafista Sherman Costa e, ainda, Helio Alvarez. A experiência e seu depoimento sobre o efeito do ataque terrorista na vida americana, os traumas e dramas das vítimas e dos sobreviventes estão relatados no livro "Outros tempos". O assunto foi um dos temas da série de palestras "Testemunhas da História", na Casa do Saber, no Rio de Janeiro, em maio de 2009.

Ainda como correspondente internacional da Rede Globo, Edney Silvestre fez uma série de reportagens no Iraque para o Jornal Nacional e o Fantástico antes da derrubada de Saddam Hussein, na companhia do cinegrafista Helio Alvarez; foi autor da reportagem que revelou os esconderijos na Florida de Mohammed Atta e outros terroristas responsáveis pelos atentados ao World Trade Center, cobriu a histórica visita do Papa João Paulo II a Cuba, assim como a passagem de furacões na América Central e premiações de Hollywood, como o Golden Globe e o Oscar.

Em 1996, Silvestre criou e produziu com Paulo Francis o pioneiro programa eclético de entrevistas em profundidade para televisão a cabo: "Milênio", que inaugurou o canal Globo News. Enquanto foi seu apresentador (ao lado de Francis e, mais tarde, de Lucas Mendes), mostrou ali a vanguarda da arte, do pensamento, da ciência norte-americanas, como o ensaísta e professor Edward Said, os dramaturgos Edward Albee e Tony Kushner, os escritores Salman Rushdie e Norman Mailer, a fotógrafa Nan Goldin, o físico Michio Kaku, e estrelas do show-business como Juliette Binoche, Lauren Bacall, James Taylor, Janet Jackson. Algumas dessas entrevistas estão no livro "Contestadores". Já o "Grandes entrevistas do Milênio" traz as entrevistas, entre outros, com Noam Chomski, E.L. Doctorow e o papa do movimento Beat, Allen Ginsberg, na última conversa que teve com um jornalista,[carece de fontes] semanas antes de morrer.

Edney Silvestre também é roteirista de documentários e diretor do curta-metragem Noivado, premiado como Melhor Filme Experimental no III Festival de Cinema Amador JB-Mesbla, em 1968. Foi assistente de direção de Domingos de Oliveira no longa As duas faces da moeda (1969), estrelado por Oduvaldo Vianna Filho, Adriana Prieto, Fregolente e Neuza Amaral.

O escritor Norman Mailer inclui sua entrevista para O Globo (a única que deu para um jornal brasileiro) entre as melhores de seu arquivo pessoal.[carece de fontes] Quando John Updike indicou as melhores entrevistas que dera, Silvestre foi o único não-americano incluído; a entrevista está no livro Conversations with John Updike(compilado por James Plath).

Apresentador do programa Espaço Aberto Literatura desde 2003, na Globo News, mostrou ali entrevistas com autores premiados com o Nobel como José Saramago, Ohran Pamuk, Mario Vargas Llosa e Nardine Gordimer, assim como ícones das letras de língua portuguesa, entre os quais Antonio Lobo Antunes, Lygia Fagundes Telles, Milton Hatoun, João Ubaldo Ribeiro. Fonte: Wikipedia