10/06/2016

Jorge Calmon (1915 - 2006)

Jorge Calmon Moniz de Bittencourt foi um jornalista baiano Professor emérito da UFBA, membro da Academia de Letras da Bahia, ex-presidente da Associação Bahiana de Imprensa e patrono do Museu da Comunicação são alguns dos títulos desta importante figura do jornalismo baiano, deputado estadual constituinte, secretário do interior e justiça, professor emérito da UFBA e membro da Academia de Letras da Bahia.

Jorge Calmon Moniz de Bittencourt nasceu em Salvador, em 7 de julho de 1915. Trabalhou no Jornal A Tarde durante 67 anos, dos quais 47 como redator-chefe, cargo que assumiu em 1949. Dentre muitas homenagens, o jornalista recebeu da Academia de Letras da Bahia, pela qual foi condecorado como Membro Benfeitor, a medalha Machado de Assis, pelo valor cultural de sua atuação no jornalismo.

Sua história se confunde com a do jornal ao qual dedicou-se durante toda sua vida profissional.

Começou a carreira de jornalista em 1935, como repórter de Assuntos Gerais. Passou pelas funções de redator, secretário de redação e, após 14 anos, assumiu o cargo de redator-chefe. Em 1971, ocupou o cargo de diretor redator-chefe. Antes, foi diretor da Biblioteca Pública da Bahia, de 1930 a 1942.

Participou da organização e implantação do atual curso de Jornalismo da Ufba, que sempre defendeu em artigos sobre a formação para a profissão. Antes, foi professor da disciplina Técnica de Jornal do primeiro curso de jornalismo da universidade. Bacharel em Direito, participou da vida pública como deputado estadual (de 1947 a 1951), secretário do Interior e Justiça e Ministro do Tribunal de Contas da Bahia.

Em reconhecimento a sua contribuição ao jornalismo baiano, recebeu ao longo de sua vida profissional, inúmeras homenagens de entidades com os mais diversos fins, a exemplo do Lions Clube, Universidade Federal da Bahia, Associação Baiana de Empresas de Rádio e Televisão, Marinhade Guerra do Brasil. Dentre as comendas, recebeu da Câmara de Salvador a medalha Tomé de Souza. Fonte: Wikipedia