17/07/2016

Crispin do Amaral (1845 - 1911)

Desenhista, caricaturista, ilustrador, aquarelista, pintor, decorador e cenógrafo. Estuda desenho e pintura em Recife, especializando-se em cenografia. 

Aos 18 anos sai de Pernambuco para trabalhar na decoração de grandes teatros em Belém do Pará e Manaus. Por volta de 1976, muda-se para Paris onde colabora, como caricaturista, no jornal Le Rire, tornando-se conhecido por conta de uma charge chamada Dum-Dum!, feita como crítica à guerra anglo-bôer. Tal caricatura lhe resultou um processo da justiça francesa e uma reclamação do embaixador inglês, culminando numa condenação de três anos de prisão. Para não cumpri-la, retorna ao Brasil e fixa residência no Rio de Janeiro, onde dedica-se novamente à cenografia e à pintura decorativa, executando os cenários da ópera Moema, apresentada na inauguração do Teatro Municipal, em 1909, além de operetas e revistas montadas no Cinematógrafo Rio Branco. 

Como caricaturista, colabora na fundação e direção artística de diversas publicações até fundar seu próprio periódico, em 1905, chamado O Pau.

Edita no Pará o jornal O Estafeta em 1879, totalmente ilustrado por ele. Viaja para Paris em 1888, e de volta ao Brasil, segue para o Rio de Janeiro, onde funda as revistas O Malho, A Avenida, O Pau e O Século. Fonte: Wikipedia