26/09/2016

Teoria dos Definidores Primários

A Teoria dos Definidores Primários é uma concepção instrumentalista sobre a atividade jornalística e reconhece que ela também está sob influência das rotinas produtivas. Sua perspectiva de análise está no poder que fontes privilegiadas têm na construção das notícias. As possíveis distorções do noticiário não seriam fruto da vontade deliberada dos profissionais da imprensa com os dirigentes da classe hegemônica, mas, na verdade, uma subordinação às opiniões das fontes que têm posições institucionalizadas, ou seja, os definidores primários. Pessoas em cargos institucionais, como governadores, prefeitos, presidentes de empresas, delegados de polícia funcionam como definidores primários. Eles são os primeiros a serem procurados para entrevistas, por darem 'legitimidade' ao depoimento, segundo a lógica dos jornalistas. A busca pela objetividade e a rotina produtiva também influenciam esse processo. A preferência pela opinião dos poderosos legitima a informação.