13/10/2016

Teoria do Espelho

Teoria que surgiu com as mudanças da imprensa americana na segunda metade do século XIX, e foi a primeira teoria que tentou entender porque as notícias são como elas são. Nesse caso, o jornalismo refletiria a própria realidade. A imprensa funcionaria como um espelho do mundo real, apresentando apenas um reflexo dos acontecimentos. Ou seja, as notícias são da forma que são porque a realidade assim as determina. Para ela, o jornalista é um mediador desinteressado que observa a realidade e emite um relato equilibrado e honesto, evitando opiniões pessoais. Para isso, é criado o conceito de objetividade jornalística, que separa fatos e opiniões.

Contudo, essa teoria é bastante criticada. "A simples argumentação de que a linguagem neutra é impossível já bastaria para refutar a teoria do espelho, pois não há como transmitir o significado direto (sem mediação) dos acontecimentos. Além disso, as notícias ajudam a construir a própria realidade, o que inviabiliza a existência de um simples reflexo do real. Na verdade, os próprios jornalistas estruturam representações do que supõem ser a realidade no interior de suas rotinas produtivas e dos limites dos próprios veículos de informação". Pena