11/10/2016

Teoria Gnóstica

O termo gnose trata das antigas seitas religiosas. É um conhecimento hermético e misterioso que poucos têm acesso pois são passados através de rituais cotidianos a um grupo bastante restrito de iniciados. 

Para Teoria Gnóstica do Jornalismo, a identidade da comunidade jornalística é formada por uma estrutura gnóstica, não no sentido religioso, mas no que tange ao caráter faústico e restrito aos costumes, comportamento, perfil, códigos secretos da tribo, vocabulário e ritos de iniciação pertencentes à comunidade e que só entende quem foi iniciado. Pena

Dessa maneira, há um conhecimento que só entende quem faz parte da comunidade jornalística e como toda comunidade tem seu ritual de iniciação, no jornalismo o novato (foca) tem uma espécie de batismo nas redações. Na televisão, por exemplo, os veteranos pedem que ele pegue a lâmina de corte para a edição.

Na interação com os jornalistas mais velhos, os novatos (neófitos) passam por um processo de acumulação de conhecimentos específicos sobre a profissão, o comportamento, o perfil, os jargões etc. Após o ritual de iniciação, os jornalistas finalmente fazem parte da tribo. Nesse sentido, o jornalista possui a gnosis (conhecimento secreto da tribo jornalística) e se vê divinizado, podendo, até certo ponto, controlar o tempo e o espaço nas páginas dos jornais.