20/06/2018

Realidade (1966 - 1976)

Realidade foi uma revista brasileira lançada pela Editora Abril. Apresentava características inovadoras para a época, com matérias em primeira pessoa, fotos que deixavam perceber a existência do fotógrafo e design gráfico pouco tradicional. Destacou-se também por suas grandes reportagens, permitindo que o repórter 'vivesse' a matéria por um mês ou mais, até a publicação.

A revista passou por três fases.

- Primeira Fase (1966 a 1968) - Os grandes temas do momento, muitas vezes polêmicos, eram abordados em matérias esmiuçadas, dentro do formato do New Journalism, de Tom Wolfe, Gay Talese e outros — que combinava eficientemente clareza e objetividade em uma estrutura com foco narrativo, o jornalismo literário. 

- Segunda Fase (1969 - 1973) Além das mudanças suscitadas pela instauração do AI-5, o texto perde o tom de denúncia, embora o formato da reportagem não tenha sofrido mudanças bruscas. Permanecia o estilo literário, a pesquisa de campo e investigação, o valor ilustrativo da imagem. Aos poucos, a revista foi assumindo o modelo newsmagazine ou revista de informação.

- Terceira Fase (1973 - 1976) - A partir de outubro de 1973, as capas de Realidade dão uma guinada radical. O periódico abandona a pauta investigativa. Proliferam nas edições seguintes os "como fazer" e os verbos no imperativo, como "saiba", "transforme", "vença" etc. Até a paginação da revista revela semelhanças com Veja da época.