02/10/2018

Nani (1951)

Nani, pseudônimo de Ernani Diniz Lucas. Começou sua carreira em BH, em 1971, publicando charges em O Diário. Em 1973, mudou-se para o Rio de Janeiro. Colaborou com O Pasquim, a partir do qual, junto com seis outros artistas, criou O Pingente. Foi também chargista do Jornal da Globo e colaborou na MAD brasileira.

No período do Regime Militar, a ele foi atribuída a frase "Não adianta bater no humor, quem bate no humor, levar o humor de volta como resposta".

No Rio de Janeiro, sua presença também está marcada no Jornal dos Sports (no qual "herdou" a cadeira do Henfil), Última Hora, Diário de Notícias, O Dia e na Tribuna da Imprensa. Nani já foi premiado em Salões de Humor em Montreal, Niterói e Piracicaba. Sua revista própria é O Nanista. É autor dos livros Feliz e orgulhoso, Envaidecido mesmo, Cachorro quente uivando para a lua, A traça de A a Z (livro que ensina as crianças a se familiarizar com o alfabeto), Jornal do menininho e Se arrependimento matasse. Pela L&PM já publicou Batom na cueca, É grave, doutor?, Foi bom prá você?, Humor politicamente incorreto e Orai Pornô.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...